segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ANISTIA INTERNACIONAL - Ação Urgente


Colabore: repasse
essa mensagem
 para seus contatos


AÇÃO URGENTE

MÉXICO: VIDA DE IMIGRANTES SEQUESTRADOS EM RISCO

Imigrantes que viajavam em um trem de carga no estado de Tabasco, no México, foram raptados por homens armados. Suas vidas e daqueles que testemunharam o sequestro estão em risco. Envie já o seu apelo!

Em 19 de fevereiro, cerca de cem imigrantes viajavam em cima de um trem de carga através do estado de Tabasco, no sul do México. Depois de passar pela pequena comunidade de Faisan Vía, o trem foi interceptado por funcionários do Serviço Nacional de imigração, que  começaram a prender os imigrantes em situação irregular (imigrantes que não têm permissão legal para entrar ou permanecer no país). Os agentes de imigração prenderam muitos dos imigrantes, mas outros fugiram para o lado dos trilhos e escaparam. Minutos após as autoridades de imigração deixarem o local, apareceram sete homens armados e cercaram cerca de dez dos imigrantes que tinham escapado de detenção. Três dos dez imigrantes escaparam e conseguiram voltar para o abrigo de imigrantes em Tenosique, estado de Tabasco, relataram o ocorrido.

As três testemunhas, uma mulher e dois homens, chegaram ao abrigo em Tenosique com diversos ferimentos sofridos quando corriam para escapar dos tiros de  homens armados. Segundo seus testemunhos, antes de escaparem, viram os homens armados arrancarem a roupa de uma das mulheres e levá-la junto com outros dois homens. Não se sabe o paradeiro desses imigrantes. Uma investigação preliminar foi aberta junto ao Ministério Público Federal.

A Amnesty International documentou vários outros casos em que houve ataques de homens armados, logo após as operações para deter imigrantes irregulares em trens de carga em áreas isoladas. 

POR FAVOR, ESCREVA SEM DEMORA, em espanhol ou em português:

- Pedindo uma investigação completa, rápida e imparcial sobre o suposto sequestro de pelo menos três imigrantes em 19 de fevereiro e instando as autoridades para que tomem medidas imediatas para determinar seu paradeiro e assegurar a sua libertação;

- apelando às autoridades para investigar as operações realizadas por funcionários da imigração coincidentes com os ataques contra imigrantes por gangues criminosas;

- apelando às autoridades que forneçam vistos temporários e proteção aos imigrantes que testemunharam o sequestro no dia 19 de fevereiro, para que possam prestar depoimento contra os responsáveis sem medo de represálias ou repatriamento.

POR FAVOR, ENVIE OS APELOS ANTES DE 5 DE ABRIL DE 2010 PARA:

Ministro do Interior:
Bel. José Francisco Blake Mora
Secretaría de Gobernación
Bucareli 99, 1er. piso, Col. Juárez
Delegación Cuauhtémoc
México DF, C.P.06600
México
Fax:             (+52) 55 5093 3414
E-mail:        secretario@segob.gob.mx
Tratamento: Estimado Señor Secretario / Exmo Ministro

Governador do estado de Tabasco:
Bel. Andres Granier Melo
Gobernador del Estado de Tabasco
Palacio de Gobierno              
Independencia numero 2      
Colonia Centro, Villahermosa, 86000 Estado de Tabasco
México    
Fax:             +52 9933 14 26 12
E-mail:        gobernador@tabasco.gob.mx
Tratamento: Estimado Gobernador / Exmo Senhor Governador

COM CÓPIA PARA:

Organização de Defesa dos Direitos de Imigrantes:
Dimensión Pastoral de la Movilidad Humana
E-mail:   jornalerosdpmh@hotmail.com        

Embaixada do México:
S.E. Sr. Alejandro de la Peña Navarrete
Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário
SES Avenida das Nações quadra 805 lote 18
CEP: 70.412-900 – Brasília / DF
Fax:             (61) 3204-5201 / 5202
E-mail:        embamexbra@cabonet.com.br
Tratamento: Sua Excelência
(*) Informações do site do Ministério das Relações Exteriores brasileiro

Consulte a RAU-Brasil caso deseje enviar apelos após a data recomendada

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Todo ano, centenas de milhares de pessoas tentam atravessar o México, vindos da América Central e do Sul, em direção aos EUA. Muitos são detidos pelas autoridades imigratórias mexicanas e devolvidos aos seus países de origem. A Amnesty International visitou o México recentemente para investigar relatos de violações dos direitos humanos contra essas pessoas. Verificaram que muitos tinham sido sequestrados por quadrilhas, às vezes com a cumplicidade de autoridades locais. Essas quadrilhas e os funcionários corruptos raramente são levados à justiça e as pessoas que prestam queixa contra eles se arriscam a sofrer represálias e deportação imediata. Essa impunidade permitiu que os abusos contra os imigrantes, que são extremamente vulneráveis, crescessem desde 2003, apesar dos esforços do governo para garantir o respeito dos direitos dos imigrantes.  

AU: 41/11 Índice: AMR 41/007/2011 Data de Publicação: 22 de fevereiro de 2011

IMPORTANTE:

- Caso os endereços eletrônicos das autoridades não estejam disponíveis, envie seu apelo por fax ou correio regular, conforme as instruções acima.

- Sempre que possível, elabore sua mensagem personalizada às autoridades seguindo as ‘orientações básicas para envio de apelos’, que foram encaminhadas na sua inscrição.

- Para verificar um exemplo de carta para esta Ação Urgente e as orientações básicas para envio de apelos, acesse:  http://www.br.amnesty.org/?q=node/1351

PARTICIPE DE OUTRAS AÇÕES URGENTES EM VIGOR:

VIDA DE UM JORNALISTA NICARAGUENSE EM PERIGO
Luis Galeano, jornalista nicaraguense do jornal El Nuevo Diario, recebeu ameaças escritas e por telefone de indivíduos não identificados. Sua vida está em perigo. Envie já o seu apelo!
GUATEMALA: ASSASSINADOS ATIVISTAS DE UMA COMUNIDADE INDÍGENA
Três ativistas dos direitos humanos de uma comunidade rural maia q’eqchi foram assassinados em Rio Dulce, Izabal, leste da Guatemala. Os ativistas, estudantes universitários e defensores do direito à terra, apareceram mortos em 14 de fevereiro. Toda a comunidade corre perigo. Envie já o seu apelo!
MANIFESTANTES DETIDOS NO IÊMEN CORREM RISCO DE SOFRER TORTURA
Dezenas de pessoas presas após os protestos na cidade de Aden, no sul do Iêmen, estão detidas em regime de incomunicabilidade e correm risco de sofrer tortura ou outros maus-tratos. A AI teme que estejam presos apenas pelo exercício pacífico de seu direito à liberdade de expressão e reunião e sejam, portanto, prisioneiros de consciência. Envie já o seu apelo!
USO DE MEIOS LETAIS CONTRA PRISIONEIROS EGÍPCIOS
Desde 28 de janeiro, a segurança de centenas de detentos prisão Al Qatta al Gadeed, no norte do Cairo, está em risco. Segundo informes, ao menos 25 presos e um funcionário da prisão mortos. Dois assassinatos ocorreram no fim de semana passado. Envie já o seu apelo!

(VER TODAS AS AÇÕES URGENTES EM: http://br.amnesty.org/?q=taxonomy/term/136)

Caso recebam respostas de qualquer uma das autoridades sobre estes casos ou de outras ações urgentes, por favor, enviem cópia para a  RAU-Brasil: rau@br.amnesty.org

VEJA TAMBÉM:

Ø  Confira as notícias mais recentes em nosso site

Ø  Todos os membros da rede são bem-vindos(as) à página pessoal da coordenadora da RAU-Brasil no Facebook, que também possui notícias e campanhas sobre direitos humanos em geral -  incluindo as Ações Urgentes e Campanhas da AI, que podem ser partilhadas com seus amigos. Em caso de dúvida sobre as Ações Urgentes, campanhas ou outros temas relativos ao trabalho da rede, as mensagens devem ser encaminhadas para a RAU pelo e-mail rau@br.amnesty.org. Para contato sobre outros temas/setores da AI, utilize o formulário em nosso site: http://br.amnesty.org/?q=contact



Rede de Ação Urgente – Amnesty International
FEVEREIRO DE 2011

Jean Wyllys (PSol-RJ) e o IR dos Casais Homossexuais


Jean Wyllys reage à ofensiva evangélica contra gay

Para frear contestação de benefício no Imposto de Renda para casais homossexuais, deputado ameaça questionar falta de prestação de contas por parte das igrejas. Ele diz que crítica a portaria da Fazenda “mascara” homofobia
Diógenis Santos/Ag. Câmara
"No grito da falsa legalidade, nós também não vamos
aceitar", diz deputado
Edson Sardinha e Eduardo Militão
Primeiro gay a se eleger deputado federal defendendo a bandeira dos homossexuais, Jean Wyllys (Psol-RJ) anuncia uma contra-ofensiva à iniciativa de parlamentares evangélicos de tentar derrubar a principal novidade da declaração do Imposto de Renda deste ano: a inclusão de parceiros homossexuais como dependentes para fins de dedução fiscal. O deputado disse que vai discutir esta semana com outras lideranças da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgênero), ainda em reestruturação, uma maneira de barrar o movimento articulado pelo deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF), que considera o benefício ilegal.
Jean Wyllys afirmou ao Congresso em Foco que pretende utilizar o mesmo argumento “legalista” do colega, que é pastor da Assembléia de Deus, para cobrar que as igrejas, que têm imunidade fiscal, passem a prestar contas à sociedade. “Posso recorrer também à legalidade para exigir do ministro da Fazenda que ele explique por que as igrejas não prestam contas à sociedade. Se os partidos políticos prestam, por que igrejas não?”, questionou.
Pastor da Assembléia de Deus, Ronaldo Fonseca tem em mãos desde a quinta-feira passada um parecer técnico elaborado na Câmara (leia a íntegra) que contesta a concessão dos benefícios aos homossexuais, conforme revelou o Congresso em Foco. O deputado do DF estuda recorrer à Justiça e apresentar um projeto de decreto legislativo para sustar os efeitos da portaria da Fazenda que garantiu o benefício aos homossexuais. Ele também cogita chamar à Câmara o ministro Guido Mantega para dar explicações sobre sua portaria.
Apoiado no parecer, o deputado alega que a medida é inconstitucional, viola o artigo 226 da Constituição e precisaria do aval do Congresso para entrar em vigor. Ronaldo busca apoio da Frente Parlamentar Evangélica, que deve se decidir sobre o assunto nos próximos dias. “Na canetada, eu não vou [aceitar], não. Tem de ter o debate”, disse Ronaldo Fonseca na quinta-feira.

“Motivação homofóbica”
“Ele disse que na canetada, não. Eu digo que no grito da falsa legalidade, nós também não vamos aceitar”, respondeu Jean Wyllys. Para o parlamentar, a ofensiva evangélica sobre o assunto tem motivação homofóbica.  “A máscara do discurso deles é da legalidade, mas isso tem uma motivação homofóbica disfarçada”, acusou.
Saiba mais: http://congressoemfoco.uol.com.br/

Lauro Pires Xavier - Um professor perseguido!

Diretor da Adufcg continua sendo perseguido politicamente pelo reitor

Por Fred Oliveira, Adufcg Seção Sindical

O diretor cultural da Adufcg Seção Sindical, Lauro Pires Xavier, continua sendo vítima da perseguição política da Reitoria da Universidade Federal de Campina Grande, por meio de uma sindicância e de um inquérito administrativo que se arrastam desde 2009. Recentemente, a Comissão de Processo Administrativo Disciplinar - CPAD da universidade emitiu um termo de indiciamento acusando-o de falta de urbanidade, desapreço no local de serviço e calúnia. 0 30º congresso aprovou uma moção de repúdio contra a perseguição.

A perseguição ao professor Lauro Pires Xavier Neto, do Campus da UFCG em Cuité, começou com uma solicitação do reitor da UFCG, Thompson Mariz, para a abertura de uma sindicância com o objetivo de tentar confirmar suas acusações de que o docente supostamente divulgou ilegalmente, numa lista virtual de discussão de professores da instituição, trechos das denúncias realizadas no TCU por um servidor da UFCG, acusando o Reitor de dezenas de atos de improbidade administrativa.

A justificava da Comissão de Processo Administrativo Disciplinar (CPAD) para o indiciamento do professor Lauro Pires são semelhantes aos que foram também  utilizados na acusação da Comissão de Sindicância, que extrapolou todos os prazos legais, ceifou o direito de ampla defesa e atuou em surdina, num processo repleto de incongruências.

Logo depois de tomar conhecimento do termo de indiciamento e divulgar seu conteúdo, o diretor da Adufcg Seção Sindical também começou a receber mensagens de solidariedade de dezenas de docentes de universidades, Institutos Federais de Educação e militantes de diversos movimentos sociais de vários estados.

Desde sua admissão na UFCG o professor Lauro Xavier vem se posicionando criticamente no âmbito universitário e atuado na direção sindical da ADUFCG, que é uma das poucas entidades que não se curvou aos ´donos` do poder na universidade. Por isso vem sendo perseguido diuturnamente, assediado moralmente e vilipendiado todo o tempo, especialmente por estar em estágio probatório.

A assessoria jurídica da Adufcg Seção Sindical está preparando uma ação judicial solicitando arquivar o inquérito administrativo da UFCG, pelo fato dele e a sindicância que o antecedeu estarem repletos de ilegalidades, como o extrapolamento de todos os prazos legais possíveis de sua realização, como também o cerceamento do direito de ampla defesa. Os interessados em mandar mensagens de apoio ao professor Lauro Pires Xavier e protestar contra a perseguição política, podem enviar diretamente ao gabinete do reitor da UFCG, pelo seguinte e-mail: reitoria@reitoria.ufcg.edu.br, com cópia para a Adufcg Seção Sindical: adufcg@uol.com.br

UECE, URCA, UVA: Desprezo e Abandono do Governo Cid Gomes

Por: Sindurca

UECE, URCA e UVA: desprezo e abandono do Governo Cid Gomes

É de conhecimento público que o concurso para professor efetivo em 2005 e a melhoria salarial dos professores das três universidades estaduais cearenses foram conquistas de heróicas greves de docentes e discentes nos anos de 2005, 2006 e 2007/2008. Entretanto, reivindicações fundamentais não foram atendidas, implicando, hoje, em grave situação para estas instituições.

O atual governo (Cid Gomes, PSB) parece decidido a abandonar esse patrimônio da sociedade cearense na medida em que não destina verbas suficientes para investimento e custeio, impedindo a realização e ou conclusão de obras, bem como a manutenção das atuais instalações.

 É ainda mais grave a falta de professores efetivos, a contratação de professores substitutos para suprir vagas de efetivos, a remuneração dos substitutos rebaixada à metade do que é devido e a prática de contratação de professor colaborador, casos que violam expressamente a legislação vigente. Trata-se mesmo de atitude desdenhosa do atual governo em face do importante papel desempenhado pelas universidades estaduais na sociedade cearense.

As seções sindicais do ANDES-SN – SINDUECE, SINDURCA e SINDIUVA – tem insistido na abertura de negociações para tratar seriamente do assunto, tendo sido frustradas até mesmo no que foi acordado com esse governo, por exemplo, a regulamentação do PCCV e a isonomia salarial entre professores efetivos e substitutos. Assim, exercemos nosso direito e dever de esclarecer a população e expor as demandas mais urgentes de cuja resolução depende o funcionamento das nossas universidades:
·         Concurso para professor efetivo.
·         Equiparação salarial entre professores efetivos e substitutos.
·         Regulamentação do PCCV.
·         Investimento em infraestrutura.

A par disso, é urgente uma verdadeira Política de Assistência Estudantil e Concurso Público para Servidores Técnico-administrativos, setor que se encontra na iminência do colapso.

Reafirmamos nosso compromisso e disposição de luta em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade para o povo cearense, portanto, necessitamos da atuação do Ministério Público e da OAB, do apoio da Sociedade e da participação das organizações políticas, sindicais e movimentos sociais em defesa desse patrimônio público.

SINDUECE, SINDURCA, SINDIUVA / ANDES-SN / CSP-Conlutas

Discutir o processo sucessório da administração da URCA

 

Por: Prof. Araújo

 

Companhreir@s          

Em nossa última Assembléia Ordinária foi tirada uma Comissão para tocar a tarefa de planejar e promover um seminário (ou evento similar), que terá como propósito discutir o processo sucessório da administração da URCA, o que implica em discutir Autonomia Universitária.

O modelo de
Universidade Pública, Autônoma, Democrática, de Qualidade e Socialmente Referenciada  que nosso Sindicato defende esta descrito no Caderno de Textos do 30º Congresso do Sindicato Nacional ocorrido recentemente em Uberlândia (MG). Em anexo consta uma apresentação do caderno 2 que sugerimos a leitura para pautar nossas discussões.

Todos estão convidados a se fazerem presentes na sede do sindicato, na próxima terça-feira, dia 01 de março,  às 16h, para o início dos trabalhos.

Aguardamos sugestões e sua presença,Veja o Caderno de Textos do 30º Congresso do ANDES-SN

Sindurca / Andes-SN / CSP-Conlutas
 
Caderno_2 ANDES.pdfCaderno_2 ANDES.pdf
90K   Visualizar   Baixar  

sábado, 26 de fevereiro de 2011

"El reloj Cucu" - Maná - Letra

Reforma Política: dando nome aos bodes

Milton Temer   
Qui, 24 de Fevereiro de 2011 12:51
Milton TemerMilton TemerOs principais colunistas políticos do Globo entraram pesado, nesta semana, na pauta da Reforma Política. E, como era de se esperar, entraram para atender ao senso comum, conservador e reacionário.
Atacam por duas vias: referem-se à baixa qualidade crescente dos representantes nas chamadas instituições republicanas, o que não é novidade, mas sem ir à raiz das causas dessa degradação do sistema, a não ser por rápidas pinceladas em seus aspectos mais óbvios. E se limitam à discussão simplista de um famigerado conceito "distritão", puro, ou mesclado com uma parcela de votos proporcionais, sem corrigir suas distorções.
O nosso sistema eleitoral é um horror. E não o é por incompetência, mas, sim, por deliberação consciente dos responsáveis por sua formulação. Sua forma atual é da lavra do "experiente ex-senador do PFL de Pernambuco Marco Maciel, cuja vocação conservadora remonta ao tempo em que era quadro proeminente do regime autoritário que nos atazanou por duas décadas. Estabeleceu regras draconianas para a formação de novas legendas – caso do PSOL – mas não ousou liquidar legendas de aluguel que fazem linha auxiliar dos partidos tradicionais.
Para democratizar e dar transparência ao processo eleitoral, há uma preliminar a solucionar – a representatividade.
Hoje, por conta da existência de um teto e um piso por Estado da Federação, um eleitor no Acre, que elege 8 deputados, tem um poder quase 20 vezes superior a outro eleitor do Acre, se este votar em São Paulo. Isto tem que acabar. É preciso dar um fim a esses parâmetros máximo e mínimo por Estado, estabelecendo quociente nacional único. E sem problema para a questão da relação igualitária entre Estados, pois ela está garantida pela representação de 3 senadores para cada unidade da federação, a despeito de área geográfica e população.
Vem depois a questão do poder econômico, que nunca será neutralizado, a não ser com o financiamento público das campanhas e o voto de lista. É um ponto fundamental, na linha contrária do que vem sendo proposto pelo Vice-Presidente Michel Temer (com quem não tenho, felizmente, nenhum laço familiar). Seu "distritão" prioriza a lista dos mais votados e liquida com a legenda partidária, portanto só se sustenta com financiamento privado, com a hegemonia do grande capital. Ou seja; aqueles que têm maior poder econômico para fazer as campanhas mais ricamente mentirosas se impõem sobre os que batalham apenas no campo das ideias. Muito mais democrático é estabelecer o voto de lista, com a lista sendo composta através de prévias entre os filiados dos partidos, o que torna a votação final muito mais consciente. Ao invés de votar em pessoas, vota-se em programas definidos.
Caminhos para isso já estão abertos, através de projeto de lei aprovado no Senado, que ficou brecado na Câmara por acordo espúrio de partidos conservadores.
24/02/2011
Milton Temer é jornalista e Diretor Técnico da Fundação Lauro Campos
http://socialismo.org.br/

FORA MUAMAR KADAFI

Protestos no mundo árabe chegam a Líbia e população pede o fim da ditadura de Muamar Kadafi 

Por Jeferson Choma da redação do Opinião Socialista -

A ditadura líbia de Muamar Kadafi, há 42 anos no poder, pode ser o próximo regime a cair no mundo árabe. Há seis dias, intensos protestos foram registrados em todo o país contra o ditador. A reação do governo foi extremamente sanguinária. Organizações dos direitos humanos estimam entre 230 a 400 o número de pessoas mortas pelas forças de repressão pró-regime.
Os protestos contra Kadafi ganharam força na semana passada, quando um ativista e advogado dos direitos humanos foi preso. Na quinta-feira o leste do país foi tomado por uma "dia de fúria", em homenagem a uma manifestação realizada em Bengasi em 2006, na qual cerca de uma dúzia de pessoas foi morta. O exército atirou nos manifestantes provocando inúmeras mortes. Localizada na região leste da Líbia, Bengasi é a segunda cidade do país e o epicentro das atuais manifestações.
No dia seguinte, houve novos protestos durantes os funerais da vítima do dia anterior. Mais uma vez, as forças militares leais a Kadafi despejaram suas balas sobre a população. Imagens dos protestos gravados pelos próprios manifestantes mostram grupos armados perseguindo pessoas que vão caindo depois de serem atingidas pelas balas.
O banho de sangue provocou mais fúria da população. Ao longo do final de semana, tumultos violentos se espalharam por todo o país. A revolta chegou a Musratha, terceira cidade do país, e o mais importante: chegou a capital Trípoli nesta última segunda-feira – considerada um reduto do regime. Inicialmente os manifestantes estavam reivindicando reformas e o fim da corrupção. Contudo, reivindicam agora o fim do regime e a saída de Kadafi.
Apesar da sangrenta repressão do governo, as manifestações não param de crescer. Por outro lado, a ditadura deu sinais de que vai endurecer a repressão. À TV estatal do país, o filho do ditador Seif al-Islam Kadafi disse que seu pai vai lutar até que "último homem esteja de pé" e que o exército vai garantir a segurança da nação a qualquer custo. A provocação de Seif al-Islam Kadafi provocou ainda mais ódio entre as massas.
No entanto, há sinais evidentes de elementos de crise no interior do exército e do regime. Há informações de que soldados do exército passaram a apoiar os manifestantes. Em Bengasi, há informações de que manifestantes se apoderaram de veículos militares, inclusive tanques e grandes quantidades de armas e munições do exército. No entanto, o regime ainda conta com um forte aparato repressivo. Há dezenas de milícias armadas que são lideradas por parente ou gente de confiança de Kadafi.
Por outro lado, diplomatas e membros do governo líbio também estão abandonando o barco. O embaixador líbio na Índia, Ali Al-Issawi, deixou o cargo em resposta à violência do governo. O embaixador da Líbia junto à Liga Árabe, Abdel Moneim al-Honi, disse que está se unindo à revolução. O embaixador líbio na China também renunciou. O ministro da Justiça líbio, Mustafa Abdeljalil, também se demitiu nesta segunda-feira em protestos a sangrenta situação do país.
Em Trípoli, a sede central do governo líbio e o prédio que abriga o Ministério da Justiça foram queimados, segundo a rede de TV Al Jazira. O prédio é o local onde o Congresso Geral do Povo, ou Parlamento, se reúne.
Um jornalista da Al Jazira sugere que regime se deteriora a cada momento. "Praticamente não há forças da ordem. Não se sabe onde foram. Esta situação favorece os rumores alarmantes", afirmou o jornalista Nezar Ahmed da Al Jazira sobre a situação da capital. O jornalista disse que há apenas um cordão policial em torno da sede da rede de televisão estatal Libya TV. Ele também mencionou uma possível fuga de Kadafi do país.

Partido da Democracia Brasileira segundo Kassab


Oposição deserta para partido de Kassab

A exemplo do vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, a senadora Kátia Abreu (TO) deverá deixar o DEM junto com o prefeito Gilberto Kassab. Idealizado por Kassab como atalho para adesão ao governo Dilma, o PDB (Partido da Democracia Brasileira), partido que planeja criar, não provocará desfalque apenas no DEM. Será o destino de parlamentares insatisfeitos, especialmente da oposição interessados em migrar para a base governista. Confirmada a promessa de Kassab de levar ao menos 20 deputados para uma frente parlamentar em sociedade com o PSB, o bloco será quarta maior força da Câmara.

Segundo articuladores do movimento, o PPS, por exemplo, corre risco de perda de quatro dos 12 deputados, sendo dois deles da bancada paulista. A criação da nova sigla poderá sangrar partidos da base de Dilma, como PR, PTB e PP. Em São Paulo, pelo menos dois vereadores do PSDB deverão se filiar ao PDB.
Saiba mais: http://congressoemfoco.uol.com.br/

Deputado Tiririca(PR-SP) indicado para Comissão de Educação e Cultura


Tiririca vai para Comissão de Educação e Cultura

Edson Sardinha

Eleito com 1,3 milhão de votos, o deputado Tiririca (PR-SP) será um dos dois representantes do Partido da República na Comissão de Educação e Cultura, a ser instalada na próxima semana na Câmara. A indicação do comediante para o colegiado foi confirmada hoje (25) pelo líder do partido, Lincoln Portela (MG).

Fenômeno das últimas eleições, quando recebeu o maior número de votos entre os 513 deputados, Tiririca passou por um teste de alfabetização pela Justiça eleitoral, após denúncia do Ministério Público Eleitoral. O comediante teve de se submeter ao teste depois de ser acusado de ter mentido ao tribunal eleitoral sobre sua escolaridade. No teste, segundo a Justiça, ele comprovou que sabia ler e escrever.

Romário
O PSB também confirmou nesta sexta-feira que o ex-jogador de futebol Romário (RJ) será indicado para a vice-presidência da Comissão de Turismo e Desporto. Tiririca será suplente desse colegiado. 

Em seu primeiro discurso, Romário lembrou da sua trajetória, da infância pobre ao estrelato no futebol, se solidarizou com as vítimas das enchentes e dos deslizamentos no Rio, e destacou que lutará pela melhoria das condições de vida das crianças pobres e dos portadores de deficiência.
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Quem quer expulsar Serys Slhessarenko do PT após 23 anos?


Ex-senadora Serys é ameaçada de expulsão do PT

Renata Camargo
A ex-senadora do PT Serys Slhessarenko (MT) pode ser expulsa do partido do qual é militante há 23 anos. Um pedido de expulsão contra a ex-parlamentar foi protocolado ontem (17) no diretório regional do PT do Mato Grosso. A tentativa de expulsão foi anunciada pela própria ex-senadora em seu twitter, onde Serys faz um desabafo.
“Olá amig@s, estou afastada porque tô muito enrolada com a mudança, colocando tudo em ordem, mas não poderia deixar de desabafar. Já não bastava terem me tirado o direito de ser candidata à reeleição, ter sido apunhalada pelas costas, terem me traído. Agora querem me expulsar do partido que ajudei a construir”, disse em seu twitter.
No desabafo, Serys afirma ainda que está “chocada” com o pedido de expulsão e acusa o PT de estar sendo destruído e estar encolhendo “por uma direção ditatorial e despótica”. “Nunca usei, nem usarei o partido para satisfazer interesses pessoais. O Partido é maior, é o PARTIDO DOS TRABALHADORES... Alguns esquecem”, afirmou na rede.
O diretório regional do PT no Mato Grosso é controlado pelo ex-deputado e atual secretário de Educação Especial do Ministério da Educação, Carlos Abicalil (MT). Candidato derrotado ao Senado nas eleições de outubro, Abicalil recebeu 533 mil votos e ficou em terceiro lugar na disputa pelas duas vagas no Senado, perdendo para Blairo Maggi (PR) e Pedro Taques (PDT).
Em maio do ano passado, nas prévias eleitorais do partido, o ex-deputado protagonizou uma das mais acirradas disputas internas do PT no estado. Abicalil venceu a disputa para sair candidato ao Senado no lugar da então senadora Serys, que pretendia disputar a reeleição. Serys acabou perdendo a queda de braço e concorrendo a uma vaga na Câmara, para a qual foi derrotada.
Os motivos que levam ao pedido de expulsão do partido ainda não foram divulgados. O Congresso em Foco tentou falar com o ex-deputado Carlos Abicalil e com o diretório regional do PT no Mato Grosso, mas ainda não obteve sucesso.

No twitter, Serys acusa o ocorrido de ser uma ação de "uma facção" dentro do partido. “Desculpem o desabafo, mas ver um grupelho, uma facção querendo tomar o partido à força, não dá. PT é democrático. Só me contaram do processo, não sei quem assinou. Para falar a verdade não me interessa, são pessoas que reduzem o partido”, disse.
Serys é uma das fundadoras do PT no Mato Grosso. Pelo partido, já exerceu por três mandatos consecutivos o cargo de deputada estadual e por um o de senadora. “O PT é o meu partido, é a minha história. (...)O que ocorre comigo não é partidário, é humano, é a busca do poder pelo poder, e isso não é partido que promove, é o próprio ser humano”, afirmou Serys.
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticia.asp?Cod_Canal=1&Cod_Publicacao=36147

domingo, 20 de fevereiro de 2011

FORA KADAFI


Representante líbio deixa Liga Árabe para "se unir à revolução"
AFP - Agence France-Presse
Agência Estado
Publicação: 20/02/2011 17:31 Atualização:
 (REUTERS/Amr Abdallah Dalsh)

O representante permanente da Líbia na Liga Árabe, Abdel Moneim al Honi, anunciou no domingo aos jornalistas que se demite do cargo para "se unir à revolução" e protestar contra "a repressão e a violência contra os manifestantes" em seu país.

Um médico da cidade de Benghazi, a segunda maior da Líbia, disse que forças controladas pelo coronel Muamar Kadafi mataram no sábado pelo menos 200 manifestantes opositores do governo que estavam enterrando os corpos de outras 35 pessoas mortas em um protesto realizado um dia antes.

Benghazi está no centro das revoltas contra o regime de Muamar Kadafi, no poder há mais de 40 anos. As manifestações já duram seis dias, mesmo diante dos repetidos ataques, e alguns líderes exilados da oposição dizem que muitas cidades do leste da Líbia estão sob controle de forças que não são mais leais a Kadafi.
 
Saiba mais:
 
Ditador Kadafi deixa Líbia rumo à Venezuela, diz rede de TV

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Maysa - Ne me quitte pas (traduzida)

Violeta Arraes em Versos

 

 

O ministro Ciro Gomes recebeu hoje (05/11), o secretário-geral da Fundação de Desenvolvimento do Araripe, Pierre Gervaiseau, e a ex-secretária de Cultura do Ceára, Violeta Arraes .Foto: http://www.integracao.gov.br/

 

CANÇÃO DO EXÍLIO DA ESCOLA DE ARTES VIOLETA ARRAES




Hildegardis Ferreira(*)


“NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA
SEM QUE EU VOLTE  PRA LÁ”
QUEM ME TROUXE PARA CÁ
PREGOU PEÇA EM MEU DESTINO
FEITO SONHO DE MENINO,
FEITO BARCO DE PAPEL.
REZADEIRA SEM O VÉU???
ANTES DE TUDO É PECADO!!!
ME TIRAR DA MINHA TERRA
É AÇOITE, UM MALTRATADO

PRA ONDE OLHAM VOCÊS
OU SEM QUERER PERCEBER
UM SEMBLANTE ENTRISTECER
PELAS RUAS DA CIDADE
E POR SIMPLES VAIDADE
ME PEGARAM PELA MÃO
SEM  PEDIR A PERMISSÃO
NEM OUVIR A MINHA TERRA.
A PALAVRA É A ÚNICA ARMA
DE QUEM ABOMINA A GUERRA!!!

POR INCRÍVEL QUE PAREÇA
BEM LONGE DO PARECER
NUNCA MAIS VOU ESQUECER
A DECISÃO INFUNDADA
DITA POR UMA BOCA AMADA
DE LUTAS POR NOSSA GENTE
TEM REGISTROS NOS REPENTES
QUE GLORIFICA A HISTÓRIA
NÃO OLHOU, TOPOU NA HORA
NAS PEDRAS DO INCONSCIENTE

OS DOUTORES E SUAS MÃOS
TÃO FINAS, TÃO DELICADAS
NÃO ME FIZERAM AFAGADA
TAL QUAL AS MÃOS DOS GROTÕES.
EM SILÊNCIO, MULTIDÕES
COM SUAS MÃOS CALEJADAS
SE MOSTRARAM MÃOS DE FADAS
NESSE MOMENTO INCONTESTE
ACALMA MEU DESESPERO
TAL QUAL LIVRAR-ME  DA PESTE
  
MAS DOUTOR O TEU OLHAR
REFLETE TRANQUILIDADE
OLHAI COM TENACIDADE
NEM QUE SEJA BEM PROFUNDO
NEM QUE VÁ AO SUB-MUNDO
DAQUILO QUE NÃO COMPETE
NA FORÇA DO CANIVETE
ME RECUSO SER LEVADA
POIS É PURA TRAIÇÃO
ME DEIXAR VIR SER USADA

SAUDADES DE PATATIVA
ME ARREMETE NESSA HORA
A TRISTEZA DE IR EMBORA
COM MINHA ALMA PARTIDA
DILACERANDO A FERIDA
LEMBRANÇAS TÃO VERDADEIRAS
CARCERAGEM,  RIBANCEIRAS
QUASE NÃO SE ACABA MAIS
FEITO BARCO À DERIVA
A ESPERA DE UM CAIS

COMO DIZIA DOM HÉLDER
QUANDO A LUTA É ABSURDA
NÃO CALE, NÃO FIQUE MUDA
É LUTA APAIXONANTE
SEM QUERER SER ARROGANTE
PEDIMOS SERENIDADE
POIS RETIRAR DA CIDADE
A ARTE COM SEU TEATRO
SERÁ SÍMBOLO, SERÁ RASTRO
DE PURA PERVERSIDADE

SÓ ACREDITO EM LIBERDADE
SE FOR FEITA EM COMUNHÃO
ERA ASSIM NOBRE REFRÃO
QUE PAULO FREIRE DIZIA
E TUDO QUE SE FAZIA
TINHA QUE SER BEM PENSADO
NÃO IMPORTASSE A DEMORA
PARA NÃO SE ARREPENDER
PRA NÃO VÊ O PADECER
DE QUEM NÃO FOI ESCUTADO
   
POIS SE USASTES O MEU NOME
EU QUERO SER RESPEITADA
NÓS CONSTRUÍMOS ESTRADAS
DE VIOLETA A GERVAISEAU
LEVAMOS COM MUITO AMOR
ESSE FARDO DO DESTINO
COM GUARIDA, COM ARRIMO
DEFENDENDO O PERSEGUIDO
SEM QUE OLHASSE PRAS CORES
DE BANDEIRAS OU PARTIDO





SOLDADINHO DO ARARIPE
EU TE PEÇO POR FAVOR
ME LIVRAI DA GRANDE DOR
DO EXÍLIO AMARGURANTE
NÃO QUERO SER RETIRANTE
DE UM SERTÃO QUE É SEMPRE INVERNO
“AUTO DA BARCA DO INFERNO”
A GIL QUEREM SE IGUALAR
“NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA
SEM QUE EU VOLTE  PRA LÁ”

Em defesa da permanência da Escola de Artes Violeta Arraes Gervaiseau na cidade de Barbalha, Ceará.

 
(*) Barbalhense, Poeta, Compositor, Ambientalista, Ativista Político e Aluno deEconomia URCA

Carta Aberta - Rede Social de Barbalha em defesa da Escola de Artes Violeta Arraes

CARTA ABERTA DO POVO DE BARBALHA ÀS AUTORIDADES PÚBLICAS E INSTITUIÇÕES DO CEARÁ
Por Rede Social de Barbalha 
O município de Barbalha foi um dos municípios que juntamente com Crato e Juazeiro do Norte participou efetivamente para a criação e implantação da Universidade Regional do Cariri - URCA, tendo o seu campus assegurado pela Lei de Criação da Universidade.
Somente após 18 anos de criação da URCA, o município idealizou e reivindicou junto a URCA a uma Faculdade de Artes, inclusive contribuindo economicamente com elaboração do projeto da sua criação.
A faculdade de Artes de Barbalha foi criada em 2005. Sua recepção no município de Barbalha foi orientada juridicamente por convênio firmado entre a Universidade Regional do Cariri e o poder público municipal.
Pelos convênios estabelecidos, ao longo dos anos, após a sua criação, o município empreendeu recursos públicos, da população, pagando aluguéis de prédios e funcionários, para o seu funcionamento, como acordado no convênio.
Vestibulares e concurso públicos para professores foram abertos, cujos editais, publicados em Diário Oficial do Estado, asseguraram as atividades docentes no Campus de Barbalha. Ocorre que a ausência do Governo do Estado na promoção do Ensino superior, levou a URCA, e as demais IES do Ceará, à precarização do Ensino.
Nesse contexto, os investimentos públicos do Governo do Estado não contemplaram a demanda  de infra-estrutura necessária ao  funcionamento do Cursos de Artes, incluindo contratação de professores e Espaços físicos. O Estado se ausentou do processo de consolidação da Faculdade de Barbalha, transferindo as suas obrigações, à Prefeitura de Barbalha, no que diz respeito a  estrutura física do seu funcionamento. O papel do município, de recepcionar a Faculdade no seu momento inicial, pela omissão do estado, tornou-se permanente, onde a partir dos convênios firmados, ficou arcando com obrigações de obrigações do governo estadual.
Hoje a demanda da Faculdade necessita da intervenção do Estado na promoção de sua funcionalidade, e este, se ausenta do processo. Como solução ao problema, a Direção da Escola de Artes, legitimada pela Reitoria da Urca, transferiu de forma unilateral, o Curso para a cidade vizinha de Juazeiro do Norte, quebrando o convênio firmado entre a URCA e a Prefeitura que representa os munícipes.  Trata-se de uma decisão ad-referendo do Reitor, que inviabilizou a discussão do seu teor, junto às instancias superiores da Universidade, tais como o Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão – CEPE e o Conselho Universitário – CONSUNI,  que é a instância máxima da Instituição. Nesse processo de transferência, numa afronto a zelo com o patrimônio público, foram transferidos em carros particulares de alunos e professores e em caminhão de uma empresa de refrigerante da região. 
O agravante, é que o este fato se concretizou sem URCA comunicar formalmente a retirada do curso ao poder publico municipal, quebrando de forma unilateralmente o convênio firmado por tempo indeterminado.  Diante disto a sociedade, que também não foi ouvida, e as instituições  sentiram-se abaladas e desrespeitada  dos seus direitos de acesso à um bem cultural historicamente conquistado.
Os estudantes, do município e cidades vizinhas sentem com isso os seus direitos desrespeitados, considerando que fizeram o vestibular, ou entraram como graduados, conforme edital publicado em Diário Oficial do Estado para o campus de Barbalha, condicionado por sua disponibilidade de tempo. Agora estes estudantes locais e de cidades vizinhas, estão impossibilitados de assistir aulas em outra cidade, para dar continuidade ao curso numa perspectiva de perderem o semestre. Eles exigem que a URCA cumpra o Edital que regeu os seus ingressos como estudantes na instituição.
Os estudantes exigem o seu direito de estudar. As desculpas de que a cidade não tem condições de funcionalidade do curso não procede, considerando, que a obrigação a estrutura física de prédios para funcionalidade da Faculdade é de responsabilidade do Estado. Eles são vitimas da omissão do Estado para com a educação, e estão pedindo apoio da sociedade reivindicando seus direitos.
Nesse contesto, entende-se que a Universidade é um bem cultural público, pertence à população, e que, a ela, deve dar satisfação dos seus atos, considerando que os gestores passam e que a Universidade fica para sucessivas gerações.    A auto-estima do povo de Barbalha foi arranhada por uma decisão impensada,  autoritária e desrespeitosa dos gestores da Universidade. É a consequência  da falta de compromisso do Estado para com o Ensino Superior do Ceará.  
A subtração desse patrimônio cultural de Barbalha representa o antagonismo ao propósito de regionalização da própria Universidade. No momento em que o Cariri vive o seu processo de metropolização, a URCA, na contramão da história, restringe a sua interatividade acadêmica com os municípios. O povo de Barbalha, e todos que tem bom senso, encontram-se indignados, com a falta de responsabilidade do Estado para com o ensino e com as ações antidemocráticas e desrespeitosas dos Gestores da URCA.  
A solução para superarão dos problemas da educação, não passa pela subtração dos direitos ao  acesso à educação e da cultura pelos munícipes, a Barbalha exige respeito! Abracem esta causa, façam valer a constituição. Pelo Retorno Imediato da Escola de Artes para Barbalha!



Caetano canta Cajuína em homenagem à Violeta Arraes

CANÇÃO DO EXÍLIO DA ESCOLA DE ARTES VIOLETA ARRAES


Por Hildegardis Ferreira(*)

“NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA
SEM QUE EU VOLTE  PRA LÁ”
QUEM ME TROUXE PARA CÁ
PREGOU PEÇA EM MEU DESTINO
FEITO SONHO DE MENINO,
FEITO BARCO DE PAPEL.
REZADEIRA SEM O VÉU???
ANTES DE TUDO É PECADO!!!
ME TIRAR DA MINHA TERRA
É AÇOITE, UM MALTRATADO
O que fizeram com esse nome de glórias e de história, que engrandece o nosso povo, a nossa gente verdadeira e de sangue Kariri.

A Magnífica Reitora Violeta Arraes Gervaiseau recebeu a homenagem de ter o nome eternizado na Escola de Artes da URCA na cidade de Barbalha, tendo como vizinhança a Igreja Matriz de Santo Antônio e o Caminho do Pau-da-Bandeira.

Ora, como o destino pode ser tão cruel com a Dra. Violeta Arraes, que em vida foi arrebatada de sua terra, de sua gente e teve que viver além mar, um exílio político na França em 1968 por força da arrogância e prepotência dos ditadores militares. Agora 40 anos depois tem o seu nome novamente arrebatado juntamente com a Escola de Artes, de forma truculenta e sem o mínimo de respeito com a sociedade barbalhense que a acolheu, é levada para viver, forçosamente em outras terras.

Violeta Arraes conhecida, também, como "A Rosa de Paris" pela generosidade de acolher os  brasileiros exilados e ajudar no tratamento psicoterapeuta dos torturados, foi uma representação brasileira importantíssima na defesa dos Direitos Humanos no campo internacional, denunciando os crimes da ditadura brasileira e amparando também os perseguidos por Pinochet no Chile.

Esse é um nome que tem que ser preservado de qualquer mazela, mas os políticos do ceará não primam por essa necessidade, assim como fez o Ex-gov. Lúcio Alcântara que usou o nome do Poeta Maior Patativa do Assaré para dar nome a um Presídio, mas o nome de Violeta Arraes estava estampado em um bom lugar, digno de uma eterna preservação, o problema é que mãos sem histórias e sem zelo, resolveram conduzi-la de forma imprópria ao invés de apenas cumprir a obrigação dos cuidados e afagos.

E assim fez Caetano Veloso quando cantou "Cajuína" e pela "lágrima nordestina" chamou o povo brasileiro para homenagear e reverenciar a memória de Violeta Arraes, enquanto um caminhão da Cajuína, feito "pau-de-arara", carregava os bens, os sonhos e o futuro de um povo em sua carroceria. Como se tudo em nós fosse deserto, pois nós barbalhenses somos como as primeiras chuvas de janeiro, carregamos nos olhos  e no coração, promessas de boas colheitas.

Acreditar que a Escola de Artes retornará à  Barbalha, fica difícil, pois enquanto o Prefeito  diz que está de "portas abertas" para acolher a Escola, o Secretário de Cultura ocupa o prédio do Casarão no mesmo momento, e como se tudo fosse orquestrado, cala a Reitoria e o Governo do Estado, sem dar nenhuma satisfação ao nosso povo.

Esse será simplesmente motivo de falácias de futuros palanques dos políticos dominantes, assim como será, também, a enchente do rio grangeiro e a cassação do prefeito que não foi cassado.

SOLDADINHO DO ARARIPE
EU TE PEÇO POR FAVOR
ME LIVRAI DA GRANDE DOR
DO EXÍLIO AMARGURANTE
NÃO QUERO SER RETIRANTE
DE UM SERTÃO QUE É SEMPRE INVERNO
“AUTO DA BARCA DO INFERNO”
A GIL QUEREM SE IGUALAR
“NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA
SEM QUE EU VOLTE  PRA LÁ”

 (*) Barbalhense, Poeta, Compositor, Ativista Político, Ambientalista e Aluno de Economia URCA.


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

As "Chuteiras" do Senador


STF pede desculpas por piada com Sarney no Twitter

Mário Coelho

A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF) pediu desculpas ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por uma piada feita no Twitter na manhã desta terça-feira (15). Segundo o órgão, a mensagem, que brincava com a aposentadoria do ex-jogador Ronaldo, foi escrita por uma funcionária terceirizada.

"Ouvi por aí: 'agora que o Ronaldo se aposentou, quando será que o Sarney vai resolver pendurar as chuteiras?", dizia a mensagem. Pouco depois de ser publicada, ela foi deletada do perfil do Supremo no microblog. De acordo com nota divulgada pela comunicação da mais alta corte do país, o conteúdo "em nada, direta ou indiretamente, reflete os pensamentos desta Corte Suprema". Veja a reprodução da mensagem do Twitter feita pela Folha.com:



Leia a íntegra da nota do STF:
"A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal esclarece que, por ato impensado, sua página oficial no Twitter foi usada indevidamente por funcionária terceirizada, para tecer comentários impróprios a respeito de eminente autoridade, a qual o STF e a SCO pedem encarecidas desculpas. A SCO também pede desculpas aos seguidores da página do Supremo no Twitter, pois os comentários em nada, direta ou indiretamente, refletem os pensamentos desta Corte Suprema e informa que já foram tomadas as medidas administrativas cabíveis."

Homenagem a Luiz Gonzaga