quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Padre castrado: Vingança ou automutilação?

20/10/2010 0h58m - Polícia




Crime ocorrido no domingo está sendo investigado pela Polícia Civil, que analisa duas hipóteses para o caso

Araranguá  
- Um telefonema re­­­ce­bido na tarde de sexta-feira pelo padre lajeadense Roque Gabriel (61) pode levar a polícia a ampliar os caminhos da investigação sobre a mutilação sofrida pelo religioso no fim de semana, na praia da Meta, Balneário de Arroio do Silva. Familiares de Gabriel relataram ontem à tarde à reportagem que o padre estava na localidade de Nova Santa Cruz, interior de Santa Clara do Sul (município emancipado de Lajeado) na sexta-feira, quando recebeu uma chamada telefônica originária de Santa Catarina. Depois da ligação, o religioso disse que precisava partir urgentemente e deixou para trás até mesmo alguns quilos de carne de um boi que a família havia carneado e que ele levaria para casa. 

Até a manhã de ontem, o delegado responsável pela investigação, Jorge Giraldi, dizia que o levantamento de dados apontava para a automutilação. No final da tarde de domingo, Roque Gabriel foi socorrido por vizinhos e levado para o Hospital Regional de Araranguá. Ele estava nu, ensanguentado e dizia ter sido vítima de um ataque. Seus testículos haviam sido cortados. “Ele se contradisse, contou duas versões fantasiosas para o caso. O ataque que ele alega ter sofrido não condiz com o cenário do crime. Não havia sinais de luta e nem de roubo dentro da residência em que ele estava”, observa Giraldi.
O delegado conta que testemunhas afirmaram que o religioso chegara à residência que estava vazia, e que pertencia a um amigo, dizendo ter um compromisso. Gabriel teria se trancado na casa. Horas depois, moradores do local teriam ouvido gemidos de dor. “O padre diz que um casal bateu à porta e o rendeu. Afirma ter sido vítima de uma vingança”, revela.
Em um terreno ao lado da casa a polícia encontrou materiais para curativos, como gases, esparadrapos, álcool em gel, seringas e cartelas de medicamento analgésico para dor. Ainda apreenderam uma faca de cozinha afiada, e que teria sido usada para extirpar a bolsa escrotal do religioso. Os testículos dele foram encontrados dentro da fossa da residência ontem pela manhã.
“O que podemos afirmar até agora é que não houve roubo. Por isso acreditamos na automutilação. Como ele não vinha para cá desde a Páscoa, acreditamos que ninguém daqui iria fazer isso. Ele se dava bem com todos os vizinhos”, reforça Giraldi. 

Família descarta automutilação
Os familiares do padre Roque Gabriel ficaram sabendo do ataque pela imprensa, ontem pela manhã. Nenhum deles acredita na versão da polícia sobre a automutilação. “Se ele queria se matar ou se cortar, iria fazer isso aqui, e não ir até Santa Catarina”, analisa o agricultor Pedro Francisco Gabriel (58), um dos nove irmãos do religioso.
Acompanhado da esposa Elfrena (51), Pedro contou que, apesar do afastamento, o irmão continuava a rezar missas para a família na comunidade onde nasceu e que os visitava constantemente. “Ele fez o velório de uma moradora daqui esses dias. Ficou a semana passada com a gente. Foi na roça, ajudou na plantação, carneamos um boi. Ele estava bem. Até que telefonaram para ele”, lembra. “Ele saiu do nada, com muita pressa. Achei o cúmulo ele ir embora daquele jeito, ir até Santa Catarina correndo.” Pedro diz que o irmão costumava viajar ao Estado vizinho para rezar missas e terços para amigos e outros familiares.

Emilio Rotta
emilio@informativo.com.br
Twitter: @rvcpolicia

Um comentário:

  1. No mínimo ele confessou-se e deu-lhe a própria penitencia.
    Abraço

    ResponderExcluir

Homenagem a Luiz Gonzaga